Resumo Trabalho

CORPOS COTIDIANOS: MOVIMENTOS DE LUTA E CULTURA NA ESCOLA

Autor(es): BIANCA DE MENEZES CASTRO DA SILVA e orientado por ALDO VICTÓRIO

O presente artigo, de base terica, tem como finalidade aprofundar nos movimentos dos corpos diante dos discursos de poder que perpassam os resultados avaliativos do IDEB e mergulhar na fruio corporal em seus cotidianos para ampliar as formas de resistncia e emancipao social. As escolas, mergulhadas cotidianamente entre seus corpos e desafios um espao-tempo de reinveno e pluralidade de experincias dos corpos que discursam seus direitos. Os resultados quantitativos das avaliaes globais e excludentes so movidos por um cartesianismo imediatista em resultados capitalistas que no captam o que realmente se d em sala de aula. A escola acontece entre seus enredos de dispositivos de poder, entre prticas emancipatrias e entre aquilo que no pode ser palpvel na compreenso de ilimitada viso cartesiana. As redes educativas tecidas no movimento de estar e ser no mundo estimulam novas formas de ao-reflexo que exprimem a potncia do ser erguer como corpo. Os corpos so histria, movimento sem fim, enfrentam sua autopunio e seu gozo ntimo. Portanto, rasgar-se cotidianamente caminhar a cada dia entre enunciaes violentas e entre a prpria enunciao dos corpos em suas (re)aes, de forma a se (re)construir a cada dia para fins de justia social e direitos culturais em seus produes estticas, assim concebemos as criaes de todos igualmente no processo democrtico das escolas.

Veja o artigo completo: PDF