Resumo Trabalho

DROGAS: PRÁTICAS EDUCACIONAIS NO COTIDIANO ESCOLAR E SEUS DESDOBRAMENTOS NA AUTONOMIA INTELECTUAL DE ESTUDANTES

Autor(es): KARINA MARINHO, MARIANA PINHEIRO DO NASCIMENTO e orientado por PROF.ª DR.ª MARIA DE LOURDES DA SILVA

O consumo de drogas entre adolescentes, sobretudo na cidade do Rio de Janeiro, uma prtica que traz grande preocupao s vrias reas de estudo, principalmente sade pblica. educao, segundo os PCNs de 1998, cabe papel fundamental na formao desses jovens cidados, tornando necessria a incluso de prticas educacionais voltadas temtica com a finalidade de estimular a conscientizao de estudantes sobre o consumo de determinadas substncias, sendo essas lcitas ou ilcitas. Tratando-se de um assunto transdisciplinar, que perpassa todas as disciplinas de modo horizontal e tem carter scio-poltico, esta questo teria grande impacto se abordada pelos docentes em aula, promovendo uma compreenso mais esclarecida por parte dos discentes, o que resulta, por consequncia, num pensamento mais crtico, reflexivo e autnomo. A presente pesquisa tem como objetivo investigar, atravs da anlise de questionrios annimos, os modos pelos quais os estudantes do Ensino Mdio de uma escola pblica do Rio de Janeiro buscam/obtm informaes e conhecimentos sobre drogas e como esses jovens analisam a participao da escola na construo de suas percepes, considerando as contribuies oferecidas pela escola (ou a falta delas), direta e indiretamente, em algum momento de suas vidas como estudantes. Nossa hiptese inicial era de que grande parte dos estudantes desta faixa etria, dos 13-4 aos 17 anos, possui uma percepo vinculada ao senso comum sobre drogas, associando de modo direto a palavra droga apenas s substncias no lcitas, indicando, inclusive, a dificuldade que os mesmos possuem em conceituar medicamentos tambm como drogas lcitas. Do mesmo modo, a prevalncia da abstinncia como poltica pblica indicaria a sobrevida da intolerncia e de diversos preconceitos e formas de discriminao entre esses jovens.

Veja o artigo completo: PDF