Resumo Trabalho

UM NOVO OLHAR SOBRE CHAPEUZINHO VERMELHO

GÉSSIKA DEMÉTRIO DE ALCÂNTARA

A literatura infanto-juvenil, por ser um espaço apropriado para estimular o universo imaginado e fantasioso da criança, nos possibilita um amplo estímulo da criatividade e imaginação com o público infantil. Sendo assim, a partir do presente trabalho pretendemos refletir como a adaptação da história Chapeuzinho Vermelho em braille, da fundação Dorina Nowill, pode ser trabalhada em sala de aula de língua portuguesa com crianças videntes. Pensando nessa abordagem, propomo-nos a trabalhar também esse mesmo texto em auxílio da áudio-descrição da história que acompanha o livro. A partir dessa metodologia, pretendemos discutir, com os pequenos leitores, a mensagem central que a história transmite a partir do ponto de vista deles, levando em consideração a temática da inclusão. Além disso, intentamos refletir sobre como a literatura é ensinada, tendo-se como suporte materiais específicos e, na maioria das vezes, adaptados para o público cego. Baseamo-nos nas considerações advindas Mantoan (2003) a respeito da educação e da inclusão no ensino e em Barros (2013) e Pires (2010), no que diz respeito aos aspectos metodológicos para o ensino da literatura. Portanto, pretendemos, com esse trabalho, sugerir uma metodologia para que os professores possam trabalhar com o tema da inclusão dos deficientes visuais não só no ambiente escolar como também na sociedade. A nossa proposta busca ainda estimular o acesso ao mundo da literatura, enquanto espaço de diversidade.

Veja o artigo completo: PDF