Resumo Trabalho

MITOS ACERCA DA MULHER COM A MATEMÁTICA

JANE CLEIDE DE ALMEIDA CORDEIRO

Quando analisamos a História da Matemática percebemos uma baixa presença feminina em sua construção. Vários fatores contribuem para tal questão, entre eles, os fatores históricos e culturais. Muitos mitos foram se moldando ao longo dos anos acerca da relação da mulher com a matemática. Uma questão apregoada na sociedade para explicar esta baixa representatividade na matemática seria a desculpa da mulher ter possivelmente capacidades intelectuais limitadas para atuar nessa área. Tomamos como base principal para análise de dados, o conceito de Procedimento de Exclusão Interdito, do autor Michel Foucault em sua obra L'ordre du discours. Este conceito nos alicerça para pesquisar uma possível ausência de incentivo ao gênero feminino de forma interdita para escolha profissional em licenciatura matemática, que tem se mostrado muito discretamente pela sociedade em geral até os dias atuais. Esta pesquisa tem por objetivo, analisar como se dá atualmente as influências e estímulos recebidos pelos alunos do ensino médio, acerca do gênero feminino ante a escolha profissional para o curso de matemática. Sua relevância justifica-se pela necessidade de impulsionar as mulheres a optar pela carreira do magistério, desprendendo-se dos abusos de limitar áreas profissionais de acordo com o sexo, assim como de tais violências simbólicas. Abordamos os alunos do 3º ano do ensino médio de uma escola pública do interior da Paraíba, através de um questionário semiaberto com oito questões, aplicado a 25 participantes, onde refletimos sobre os mais diversos estímulos, oferecidos no dia a dia pela sociedade em geral. Os dados da pesquisa sugerem que o gênero feminino não é estimulado para a escolha de cursos voltados para os cálculos, se refugiando principalmente nos Procedimentos de Exclusão Interditos para tais abusos. Os discursos referentes a este contexto que reinam na sociedade foram se moldando, ao ponto de encontrarmos, apenas nas entrelinhas, falas baseadas na exclusão interdita, porém ainda de forma discriminatória.

Veja o artigo completo: PDF