Resumo Trabalho

A IMPORTÂNCIA DOS GRUPOS DE CONVIVÊNCIA PARA A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

ALLAN BATISTA SILVA

O processo de envelhecimento está relacionado diretamente as alterações biológicas, psicológicas e sociais, provocando uma susceptibilidade maior dos idosos ao surgimento de determinadas doenças. Então é importante que esse processo venha acompanhado de uma boa qualidade de vida. Diante disso, este estudo tem como objetivo identificar as evidências científicas acerca da importância dos grupos de convivência para a qualidade de vida dos idosos. Trata-se de um estudo de revisão integrativa com o intuito de discutir sobre a seguinte questão norteadora: “Com base na literatura, qual a importância dos grupos de convivência para a qualidade de vida dos idosos participantes?”. A coleta dos dados foi realizada nas bases de dados Lilacs, SciELO e Medline. Onde utilizou-se os seguintes termos: “qualidade de vida”; “centros de convivência para idosos”; “centro de convivência e lazer”; “centros comunitários para idosos”; “calidad de vida”; “centros para personas mayores”; “centros de ócio y convivência”. Foram incluídos pesquisas científicas disponíveis on-line na íntegra em formato de artigo, publicados no período de 2009 à 2018, nos idiomas português e espanhol. Foram excluídos as monografias, dissertações, teses, revisões bibliográficas textos duplicados e aqueles não relacionados ao tema. Com base nesses critérios, 7 artigos foram selecionados para fazer parte desta revisão integrativa. Diante do que foi encontrado na literatura, observa-se que ao participarem dos grupos de convivência, os idosos apresentam uma melhora na sua qualidade de vida. Desse modo, os grupos de convivência podem ser considerados com uma excelente estratégia para oferecer um viver mais saudável na terceira idade.

Veja o artigo completo: PDF