Resumo Trabalho

JUSTIÇA RESTAURATIVA: UMA PROPOSTA DE DIÁLOGO, INCLUSÃO E PREVENÇÃO DE VIOLÊNCIA.

MÔNICA MARIA SOUZA RIBEIRO

A escola foi durante muitos anos um local onde apenas se transmitia o conhecimento, através da assimilação automática que resultava na estagnação e repressão. Dentro desse contexto, havia, também, a questão dos conflitos entre adolescentes, jovens e até adultos. Entretanto, a escola não se envolvia, levando com isso a continuação desses conflitos fora do ambiente escolar. Assim, o presente estudo, está direcionado a análise da prática da Justiça Restaurativa no Ambiente Escolar, a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais, problemas de relacionamentos, prevenção de violência, propostas de boas práticas e métodos. O objetivo desse estudo é analisar a Justiça Restaurativa como instrumento de mediação entre o espaço educacional e a educação inclusiva na resolução de conflitos, com vistas à prática dialogal e restaurativa na escola, para a efetivação da pacificação, prevenção e combate à violência. Ainda, a avaliar os impactos das práticas restaurativas no contexto inclusivo, de prevenção, redução de danos e redução da violência. Para o desenvolvimento da pesquisa utilizou-se o método exploratório, o que proporciona maior conhecimento e familiaridade com o fenômeno ou problema da violência na escola. Empreendeu-se uma pesquisa bibliográfica acerca de elementos teóricos que fundamentam a temática da Justiça Restaurativa aplicada ao contexto escolar, como uma proposta aproximação entre os envolvidos, onde se compreendam como iguais no conflito, reflitam sobre seus atos e percebam a intenção da justiça restaurativa em reparar os danos causados. Restaurando, assim o senso de justiça à reintegração e inclusão dos indivíduos ao convívio harmônico no ambiente escolar.

Veja o artigo completo: PDF