Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA PORTADORES DE HIDROCEFALIA: DESAFIOS ENFRENTADOS POR PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

DANIEL DE ARRUDA SILVA

A história da Educação Física no Brasil compreende desde a chegada dos colonos, imigrantes e militares. Com o passar do tempo, os adeptos às atividades físicas, uniram esforços para torna-la uma profissão legítima. Desde o início da sua história, a profissão apresentou diferentes abordagens quanto à sua concepção e aplicação de conceitos na sociedade, ultrapassando os limites físicos das escolas, assumindo o papel de agente de reabilitação e reintegração de pessoas com deficiência. Destaca-se a hidrocefalia, sendo esta patologia, objeto de estudo deste artigo. Hidrocefalia segundo Pimenta (2012) pode ser classificada como uma desordem ocorrida devido ao acúmulo do líquido cefalorraquidiano (LCR) dentro dos ventrículos cerebrais. Dada a importância do entendimento da hidrocefalia, como componente para o processo de inclusão do aluno com deficiência, o presente estudo tem como objetivo analisar as dificuldades que os professores de Educação Física enfrentam para auxiliar as pessoas com algum tipo de deficiência, sobretudo no processo de inclusão de portadores de hidrocefalia. O estudo caracteriza-se como artigo de revisão de literatura de tipo integrativa. A análise dos resultados ocorreu após seleção de artigos que contemplassem o tema. Em suma, o professor de Educação Física assume papel excepcional de agente inclusivo nas escolas. Após a análise dos dados é possível afirmar a importância de educar num mesmo lugar, onde as dificuldades não são vistas como problemas, mas como diversidade. Sendo a falta de preparação e capacitação a maior dificuldade enfrentada por educadores físicos neste processo de inclusão.

Veja o artigo completo: PDF