Resumo Trabalho

AS EMOÇÕES NA EDUCAÇÃO DE SURDOS: O OLHAR DO INTÉRPRETE DE LIBRAS SOBRE ESSE PROCESSO.

RAFAELLA FERREIRA RODRIGUES BARBOSA

A educação de surdos passou por diversas mudanças ao longo dos anos, tempos de negação, busca pela normalização, exclusão da sala de aula, não reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais - Libras, dentre outras coisas. Na atualidade existem várias políticas que visam a inclusão efetiva dos alunos surdos nas salas de aula do ensino regular, juntamente com o direito ao tradutor/intérprete de Libras, no entanto, ainda assim estamos a passos largos do surdo/a está realmente inserido em sala de aula. A maioria dos professores regentes ainda não possuem o conhecimento e/ou domínio da Libras para se comunicar com o aluno surdo, falta adaptações metodológicas em suas aulas e o reconhecimento do aluno surdo como sendo de sua responsabilidade e não do intérprete. A pesquisa aborda a visão do intérprete de Libras que acompanha dois alunos surdos em uma escola do município de João Pessoa/PB, sobre o processo de aprendizagem, comunicação e socialização desses alunos surdos com seus professores e colegas de sala de aula, teve como instrumento a aplicação de um questionário semiestruturado para que assim pudéssemos entender nossas indagações. Diante desse cenário, percebemos a importância da Educação Emocional para romper essas barreiras e promover a inclusão de fato e de direito dos alunos surdos. Através da Educação Emocional professores e alunos podem criar um ambiente harmônico e propício para que ocorra a aprendizagem de forma correta, alunos surdos e ouvintes de posse dos mesmos direitos de aprendizagem e sendo respeitados em suas singularidades.

Veja o artigo completo: PDF