Resumo Trabalho

EDUCAÇÃO EMOCIONAL: UM CAMINHO PARA O EMPODERAMENTO DE JOVENS COM DEFICIÊNCIA

FÁTIMA PEREIRA MARINHO

As pessoas com deficiência desde os tempos antigos são subjulgadas e estigmatizadas devido ao padrão de normalidade enraizado na sociedade. Elas são frequentemente consideradas incapazes e não tem a sua autonomia estimulada, assim estão quase sempre reféns das decisões de terceiros. A escola também não contribui, já que historicamente enfatiza os aspectos cognitivos em detrimento da integralidade e subjetividade dos sujeitos. Outros tipos de inteligência como a emocional, por exemplo, precisam ser estimuladas para um desenvolvimento integral dos indivíduos. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é analisar as emoções de jovens com deficiência através de vivências de educação emocional com vistas ao empoderamento. Os resultados da pesquisa surgiram no âmbito de pesquisas do Núcleo de Educação Emocional da UFPB e apontam os seguintes dados sobre as emoções do medo, raiva e tristeza: a emoção do medo nos jovens com deficiência advém dos mesmos estímulos emocionais de pessoas sem deficiência, de animais e insetos, escuro, perda de entes queridos e de ficar sozinho. Já na raiva, os estímulos são a frustração, o bullying, o preconceito e ser impedido de algo. Com relação à tristeza, situações relacionadas à morte, rejeição, abandono, além de chateações foram apontadas pelos jovens. Sabendo disso, é necessário que os jovens com deficiência, tenham o direito de conhecerem sobre as suas emoções, como elas influenciam em seus comportamentos, além de como reagir apropriadamente a elas, pois com o estímulo ao autoconhecimento, e a outras habilidades podem levá-los a se enxergarem como sujeitos de direitos, alcançando autonomia e empoderamento.

Veja o artigo completo: PDF