Resumo Trabalho

A MUSICALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SUAS POSSIBILIDADES DE ENSINO

JADEILDA MARQUES FRANÇA

A MUSICALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SUAS POSSIBILIDADES DE ENSINO Autor (1); Autora: Jadeilda Marques França¹- UEPB Coautora: Erivanusa de Carvalho Alves²- UEPB Orientadora: Universidade Estadual da Paraíba- UEPB jadeildapb@hotmail.com, fabioerivanusa@gmail.com Resumo É importante registrar que já é um ponto pacífico entre os pesquisadores, que as primeiras concepções em torno da música no Brasil advêm da junção de elementos europeus, indígenas e africanos, que foram trazidos por colonizadores portugueses e escravos. Isso porque na época os padres jesuítas tinham intenção de atrair fiéis para a religião católica, promovendo o ensino musical. Acredita-se que o ensino da música no Brasil foi regulamentado por decreto real, mas como não havia formação por parte dos educadores, a música era usada para manifestações artísticas e controle dos alunos em sala de aula. Este trabalho configura a relevância da música como uma ferramenta pedagógica tendo como ponto principal relatar os aspectos favoráveis que o ensino de música pode proporcionar às crianças. O objetivo geral desse trabalho de pesquisa é compreender a importância da música enquanto prática pedagógica, bem como apresentá-la como um instrumento que tende a contribuir com o desenvolvimento da inteligência e integração do ser, favorecendo o desenvolvimento cognitivo, psicomotor e afetivo. Para tal foi realizado um estudo de caráter participativo e quantitativo em uma escola municipal em Campina Grande-PB, com os alunos da Educação Infantil, o qual iniciou - se com uma conversa informal, seguida de entrevista sobre a representação e contribuição da música na sala de aula e posteriormente a confecção de um livrão coletivo. Este trabalho foi produzido a partir de vivências na Educação Infantil e representa uma concepção de atividade prática da musicalidade em sala de aula proporcionando um ensino lúdico. Palavras-chave: Ensino. Música. Educação Infantil.

Veja o artigo completo: PDF