Resumo Trabalho

MATRÍCULAS DE SURDOS NA EDUCAÇÃO ESPECIAL EM CLASSES COMUNS: SUA APRESENTAÇÃO AO LONGO DOS ANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA

RAFAELA RAULINO NOGUEIRA

A educação do surdo é um tema bastante relevante a ser discutido, pois existem várias bases que asseguram uma educação de qualidade para este público, respeitando suas singularidades e particularidades. O Censo Escolar da Educação Básica é uma fonte de informações que podem ser trabalhadas para reconhecimento, aprofundamento de informações e tomada de decisões em relação a diversos públicos, dos surdos. Portanto, esta pesquisa se objetiva a apresentar a distribuição das matrículas de surdos na educação especial em classes comuns (ensino regular e/ou educação de jovens e adultos) por regiões e seu percentual de variação ao longo dos anos. Trata-se de um estudo exploratório, retrospectivo e de abordagem quantitativa, utilizando dados disponibilizados do Censo Escolar entre os anos de 2013 a 2017. Foi observado que o número de matrícula geral (todos os tipos de deficiência, transtorno global do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação) vem crescendo anualmente entre 2013 a 2017 em aproximadamente 38%, já em relação ao número de matrículas de surdos vem diminuindo durante este período em torno de 15%. As regiões que mais se destacam na concentração de matrículas ao longo dos anos é a Sudeste e a Nordeste, embora quando calculado a variação percentual neste período a região Centro-Oeste apresentou o maior percentual (13,87%). Diante do exposto, podemos concluir que o número de matrículas de alunos com surdez vem diminuindo no período de 2013 a 2017, sendo mais evidente em algumas regiões brasileiras e que este resultado pode ser fruto de diversas barreiras existentes dentro da sociedade educacional.

Veja o artigo completo: PDF