Resumo Trabalho

FRAGILIDADE E SOBRECARGA ENTRE CUIDADORES IDOSOS DE IDOSOS

Autor(es): LARISSA CENTOFANTI LEMOS e orientado por SAMILA SATHLER TAVARES BATISTONI

O presente estudo tem como objetivo caracterizar uma amostra de cuidadores idosos de outros idosos de acordo com níveis de fragilidade, a sobrecarga objetiva e a sobrecarga subjetiva. Esta pesquisa é transversal e descritiva. Foram entrevistados 148 cuidadores idosos de idosos dependentes no domicílio, participantes de estudo mais amplo denominado “Bem-estar psicológico de idosos que cuidam de outros idosos no contexto da família”. Dados referentes ao gênero, idade, grau de parentesco com o idoso receptor de cuidados, níveis de fragilidade, tempo em que é cuidador, demandas físicas do cuidado, demanda cognitiva do idoso alvo de cuidados e nível de sobrecarga subjetiva foram coletados e analisados através de estatísticas descritivas. A amostra consistiu de 77% de mulheres, com idade média de 70 anos (±7,1). 62% da amostra é cônjuge do idoso receptor de cuidados e 81% está em processo de fragilização. A amostra presta cuidado aos idosos dependentes há 4,6 anos em média (±4,1), auxilia parcial ou totalmente em nove atividades diárias em média (±3,8) e refere que os idosos dependentes apresentam nível de demência leve e moderada (M=1,42; DP=1,2). A amostra apresentou sobrecarga moderada (M=26,1; DP=13,6). Os resultados demonstram que cuidadores idosos de outros idosos apresentam sinais de fragilidade, são bastante exigidos pelo contexto do cuidado e têm percepção moderada de sobrecarga subjetiva devido ao cuidado. Tais dados evidenciam que, ao se caracterizar uma amostra de cuidadores idosos de outros idosos, os serviços de saúde podem oferecer apoio formal e intervenções de forma mais adequada à realidade dos mesmos.

Veja o artigo completo: PDF