Resumo Trabalho

PREVALÊNCIA DO SONO EM IDOSOS OCTOGENÁRIOS

Autor(es): ADRIANO FILIPE BARRETO GRANGEIRO e orientado por LUCY DE OLIVEIRA GOMES

O fenômeno do envelhecimento é uma realidade indiscutível e as projeções indicam que esse crescimento continuará de forma mais rápida. Considerando o aumento da longevidade, alcançada mais rapidamente em países em desenvolvimento sendo uma das maiores conquistas da humanidade, percebe-se que a faixa etária mais crescente no mundo é de indivíduos com 80 anos e mais. Dentro desse contexto, considera-se que a idade é um fator fundamental na alteração da arquitetura do sono, pois a idade avançada tem relação direta com a prevalência de distúrbios do sono. Assim, sendo considerada a relevância da temática em questão, este estudo objetiva identificar a prevalência dos distúrbios do sono em idosos octogenários assistidos em um ambulatório. Estudo analítico observacional de caráter transversal, realizado no ambulatório de Geriatria do Hospital da Universidade de Católica de Brasília. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista no período de agosto a dezembro de 2017. Os instrumentos utilizados foram questões referentes ao perfil sociodemográfico em seguida aplicado o Mini Exame do Estado Mental e questionários relacionados ao sono validados no Brasil. A análise de dados foi efetivada em uma abordagem quantitativa por meio da estatística descritiva. Os idosos na sua maioria, do gênero feminino (75%), inseridos na faixa etária de 80 a 91 anos. Verificou-se que 62,5% dos idosos apresentaram distúrbio do sono presente aferido pelo Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh. O presente estudo concluiu prevalência importante de distúrbios do sono na população longeva gerando impacto negativo para qualidade de vida.

Veja o artigo completo: PDF