Resumo Trabalho

O ENVELHECIMENTO E A DEPRESSÃO: A IMPORTÂNCIA DO CONVÍVIO FAMILIAR PARA IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Autor(es): MAGDA MICHELY BEZERRA DOS SANTOS , RICARDO LOURENÇO DA SILVA , LUZILENE MONTEIRO PEDROSA e orientado por MARIA IZABEL DOS SANTOS NOGUEIRA

Os dados atuais apontam para uma mudança significativa em relação ao índice demográfico, desse modo o país receberá num futuro não muito distante um grande contingente de idosos. Com isso, estamos diante de um grande desafio em decorrência do aumento na proporção no número de idosos, o Brasil vai precisar de algumas mudanças significativas na saúde, na educação e na acessibilidade das cidades para receber essa demanda. Assim, este artigo discorre sobre o envelhecimento populacional, a depressão em idosos institucionalizados e a importância que o convívio familiar tem para minimizar os efeitos ocasionados pela depressão. Tem a intenção de investigar de acordo com o embasamento teórico, o processo do envelhecimento e as questões relacionadas a essa patologia que está em constante crescimento nessa faixa etária. A metodologia utilizada foi revisão sistemática realizado na base de dados do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (LILACS) e da Scientific Electronic Library Online (Scielo), o qual teve início em abril a agosto de 2018, onde foram encontrados 11 artigos que contemplassem o conteúdo do estudo. Como resultado foi observado que os idosos que residem em Instituições de Longa Permanência (ILPs) tem maior probabilidade de apresentar um quadro depressivo, podendo ser decorrente de diversos fatores, entre eles podemos citar o distanciamento ou até mesmo o abandono por parte dos familiares. Essa pesquisa irá enfatizar também sobre como a depressão pode influenciar negativamente na vida do idoso e a importância da família para sanar ou atenuar os sintomas depressivos.

Veja o artigo completo: PDF