Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL E EQUILÍBRIO DE IDOSAS PRATICANTES E NÃO PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

Autor(es): PAULA MARIA LOPES SARDELICH, YASMIN NATHALLY SANTOS ROCHA, THAÍS SANTOS CONTENÇAS, RAFAELA BATISTA SOUZA e orientado por ERIK OLIVEIRA MARTINS

Introdução: A prática regular de atividade física tem o poder de minimizar os efeitos deletérios do envelhecimento, prevenir e tratar várias patologias, aumentando a autonomia e longevidade, com melhor desempenho das habilidades motoras, resultando em uma vida saudável. Objetivo: O objetivo deste estudo foi comparar a capacidade funcional e equilíbrio em idosas praticantes e não praticantes de atividades físicas. Método: O presente estudo foi realizado com 20 idosas, divididas em dois grupos. Grupo de Praticantes de atividade física (GP) e Grupo de Não Praticantes de atividade física (GNP). A classificação dos grupos foi realizada com o questionário IPAQ. A avaliação de equilíbrio foi feita através da Escala de Equilíbrio de Berg (EEB) e a capacidade funcional com o Índice de Katz.. Resultados: No GP (n=10), a média de idade foi de 66 ± 3,9 anos. A EEB obteve uma média de 52,2 ± 1,9 pontos e o índice de Katz foi de 5,9 ± 0,3. Já no GNP (n=10), a média de idade foi de 64,9 ± 4,1 anos. A EEB obteve uma média de 47,5 ± 7,1 pontos e o índice de Katz foi de 5,7 ± 0,4. Conclusão: Estes dados sugerem que a atividade física influencia na capacidade funcional e no equilíbrio dos idosos.

Veja o artigo completo: PDF