Resumo Trabalho

QUALIDADE DA DIETA E SÍNDROME METABÓLICA EM IDOSOS DE VIÇOSA, MINAS GERAIS

Autor(es): DALILA PINTO DE SOUZA FERNANDES, SILVIA EUGÊNIA OLIVEIRA VALENÇA, JOICE DA SILVA CASTRO e orientado por ANDRÉIA QUEIROZ RIBEIRO

Introdução: Hábitos alimentares saudáveis constituem-se como importante fator protetor contra as Doenças Crônicas Não Transmissíveis, dentre elas a Síndrome Metabólica (SM). Assim, a avaliação da qualidade da dieta deve ser realizada de modo a refletir sua complexidade, sendo o Índice de Alimentação Saudável Revisado (IAS-R) um instrumento adequado para desempenhar tal função, embora detenha de poucos estudos com idosos brasileiros. Objetivo: Avaliar a qualidade da dieta entre idosos com e sem SM. Metodologia: Estudo transversal, de base populacional, com amostragem aleatória de 298 idosos não institucionalizados de Viçosa, MG. Utilizou-se um questionário semiestruturado na entrevista. Análises bioquímicas foram realizadas a partir da coleta de amostras de sangue dos participantes. Os dados de consumo alimentar foram obtidos com a aplicação do recordatório de ingestão habitual e a qualidade da dieta foi avaliada por meio do IAS-R. A SM foi diagnosticada pelos critérios da Federação Internacional de Diabetes. Resultados: Idosos com SM, ou com alterações metabólicas (hiperglicemia, colesterol HDL baixo), apresentaram melhores pontuações para certos componentes (Frutas integrais; Gorduras saturadas; Gord_AA) ou IAS-R total. O consumo de cereais totais e gorduras saturadas também foi maior entre indivíduos com HDL baixo e obesidade abdominal, respectivamente. Conclusão: Os idosos já possuíam essas alterações quando foi realizado o estudo, sendo assim, provavelmente tiveram acesso a aconselhamento nutricional prévio. Entretanto, o consumo elevado de cerais totais observado entre os indivíduos com HDL-c baixo e de gorduras saturadas entre os indivíduos com obesidade abdominal destaca a necessidade de vigilância constante dos hábitos alimentares.

Veja o artigo completo: PDF