Resumo Trabalho

POLIMORFISMO I/D DO GENE ENZIMA CONVERSORA DE ANGIOTENSINA NA RESPOSTA DE IDOSAS PRÉ-FRÁGEIS AO TREINAMENTO FÍSICO COM JOGOS VIRTUAIS

Autor(es): KAREN AKEMI FERREIRA TAMASHIRO, LIANA ALVES DE OLIVEIRA, SIMONE BIESEK, AUDRIN SAID VOJCIECHOWSKI e orientado por ANNA RAQUEL SILVEIRA GOMES

A fragilidade é uma síndrome geriátrica caracterizada pela diminuição da força muscular, resistência e função fisiológica, que aumenta a vulnerabilidade do indivíduo. Quando detectada precocemente, pode ser reversível pela realização de exercícios físicos. Fatores genéticos estão associados ao fenótipo muscular, como o polimorfismo I/D (inserção/deleção) do gene ECA, que codifica a enzima conversora de angiotensina (ECA). O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do treinamento físico com jogos virtuais na função muscular e desempenho da marcha de idosas pré-frágeis, considerando-se os genótipos deste polimorfismo. Foram genotipadas, por reação em cadeia da polimerase (PCR), 31 idosas com 65 anos ou mais, categorizadas como pré-frágeis, de acordo com os critérios de Fried et al (2001). A função muscular foi avaliada por meio da força de preensão manual (FPM-kgf) com uso do dinamômetro manual e o desempenho físico pelo teste de velocidade de marcha (VM), antes e após 12 semanas de treinamento físico (n=21), duas vezes por semana, por 50 minutos cada sessão, com uso de equipamento Nintendo Wii Fit Plus®. As frequências dos genótipos D/D, I/D e I/I foram 26% (n=8), 45% (n=14) e 29% (n=9), respectivamente. VM apresentou melhora mais acentuada em idosas D/D (-1,91±1,47) em comparação com portadoras do alelo I (-0,63±0,32; p=0,004). Não foi encontrada diferença significativa na FPM (p=0,56). O melhor desempenho das idosas com genótipo D/D pode ser explicado pelas maiores concentrações de ECA associadas a este genótipo, o que pode contribuir para hipertrofia muscular, favorecendo o desempenho físico.

Veja o artigo completo: PDF