Resumo Trabalho

RELAÇÕES DE PODER NO MATRIMÔNIO EM “O PAPEL DE PAREDE AMARELO”, DE CHARLOTTE PERKINS GILMAN

Autor(es): GIOVANE ALVES DE SOUZA, JOSÉ VILIAN MANGUEIRA

Neste trabalho intencionamos tratar das relações de poder presentes no matrimônio retratado em “O papel de parede amarelo”, conto da escritora americana Charlotte Perkins Gilman. O presente estudo é fruto das discussões desenvolvidas pelo projeto “Maridos perfeitos, casamentos imperfeitos: a representação do feminino em contos da literatura anglo-americana” do Programa de Iniciação Científica (PIBIC), no qual discutimos a representação do casamento em contos da literatura anglo-americana. A partir da leitura do conto, analisaremos a relação do sujeito feminino perante o seu marido, considerando que este dispõe de privilégios dos quais àquele está sujeito a se subordinar, e este aspecto de uma sociedade patriarcal, tal qual a que é explorada na narrativa em análise, tende a desfavorecer o sujeito feminino, colocando-o em uma situação de constante opressão. Posto isso, daremos enfoque ao modo como o poder é retratado a partir das funções sociais, tal como a função do marido e da esposa; além disso, abordaremos a representação do papel médico/paciente, destacado na narrativa; e, de maneira mais contundente, destacaremos o processo de opressão da mulher da sociedade do século XIX. Para tal, embasaremos a nossa análise nas contribuições teórico-metodológicas de Paula Treichler (1984), Virgínia Woolf (2014) e Mary Wollstonecraft (2015).

Veja o artigo completo: PDF