Resumo Trabalho

RECORTES DA SUBALTERNIZAÇÃO FEMININA EM OLHOS D’ÁGUA DE CONCEIÇÃO EVARISTO

Autor(es): ANA CAROLINE GENÉSIO RODRIGUES, MARIA APARECIDA NASCIMENTO DE ALMEIDA

Resumo: Conceição Evaristo, renomada escritora brasileira, figura no cenário literário nacional e internacional com proeminentes obras; romances poesias e contos fazem parte da sua produção. Traduzidos em vários idiomas, seus versos e narrativas permitem conhecer a realidade socioeconômica vivenciada por mulheres, pobres, negras, características que as relegam à margem de uma sociedade que se “pretende” democrática, porém impõe, por ações e palavras, limites a serem respeitados pelos seres subalternizados. O tom de denúncia social, empregado pela autora, dialoga com os discursos proferidos pelos (as) companheiros (as) que militam consigo no Movimento Negro, os (as) quais reivindicam respeito e igualdade, por questões étnicas, e no caso das mulheres de gênero, uma vez que a inserção em uma sociedade patriarcal impõe desafios constantes ao ser feminino. Destaca-se as “escrevivências” de Conceição Evaristo em Olhos D’água, coletânea de contos, na qual a escritora enfatiza o sofrimento de uma coletividade, multiplamente, subalternizada pela misoginia, racismo e preconceito social. O sofrimento, evidenciado no título da obra, é compartilhado pelas protagonistas das narrativas Ana Davenga e Maria, cujos dilemas representam as vivências de inúmeras faces, tendo em vista a observação do ficcional a partir da realidade do Brasil. Verifica-se, por fim, a brevidade da vida de tais personagens, vítimas da banalização da violência, ratificando a proposição de que a arte imita a vida.

Veja o artigo completo: PDF