Resumo Trabalho

PERCEPÇÃO DAS MERENDEIRAS SOBRE BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Autor(es): RICELY DE LIMA RODRIGUES, MIKARLA BRENA DANTAS DE LIMA, ELIANE CRISTINA DA SILVA VITORIO e orientado por ODISSÈIA CARLA PIRES GASPARETO

A maioria das DTA está ligada à manipulação inadequada dos alimentos. Portanto, os manipuladores de alimentos podem desempenhar um importante papel na transmissão dessas doenças, tanto por hábitos inadequados de higiene pessoal, ou por serem portadores de microrganismos patogênicos. Quanto à promoção de hábitos alimentares saudáveis no ambiente escolar, destaca-se o trabalho das merendeiras, profissionais envolvidas diretamente no preparo e distribuição da merenda escolar. É importante enfatizar que esses profissionais precisam ser capacitados e preparados para trabalhar com alimentação escolar, de modo que essas ações possibilitem uma conscientização e entendimento por parte deles acerca da manipulação adequada dos alimentos. Diante disto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a percepção de merendeiras de unidades públicas de ensino infantil quanto as Boas Práticas de Manipulação de Alimentos (BPMA) para avaliar o nível de conhecimento das mesmas e a motivação destas em cumprir as boas práticas. Sendo assim, a pesquisa foi feita com 14 merendeiras de 12 escolas, nas cidades de Carnaúba dos Dantas, Cruzeta e Currais Novos, Rio Grande do Norte. Coletou-se os dados através de questionário e gravações. De acordo com o relato das merendeiras observou-se que as mesmas sabem o que são as BPMA, pois como resultado geral do estudo, obteve-se 84% de acertos, além de respostas coerentes ao tema estudado. Concluiu-se que o conhecimento demostrado deve-se a participação das manipuladoras em capacitações referentes a segurança alimentar.

Veja o artigo completo: PDF