Resumo Trabalho

MORFO-ANATOMIA DOS ORGÃOS VEGETATIVOS DE IPOMOEA LONGERAMOSA CHOISY (CONVOLVULACEAE)

Autor(es): EDINALVA ALVES VITAL DOS SANTOS e orientado por KIRIAKI NURIT SILVA

Este trabalho teve por objetivo realizar um estudo morfo-anatômico dos órgãos vegetativos de Ipomoea longeramosa Choisy, espécie nativa do Brasil, visando reconhecer caracteres úteis para a sua identificação e delimitação. Efetuaram-se seções paradérmicas (lâmina foliar) e transversais (nervura principal, pecíolo, caule e raiz), a mão livre, com lâmina cortante, coradas com safranina e/ou safrablue, posteriormente analisadas e fotografadas ao microscópio óptico. I. longeramosa é uma trepadeira herbácea, com folhas simples, 5-lobadas, lobos ovais; caule volúvel, cilíndrico, com indumento hirsuto; a raiz é axial, de coloração marrom clara. Em relação à anatomia, as folhas apresentam epiderme anfihipoestomática, com estômatos paracíticos, paredes anticlinais sinuosas em ambas as faces; mesofilo dorsiventral, com o parênquima paliçádico unisseriado e presença de célula espicular; sistema vascular bicolateral, formado por um feixe na nervura principal e por quatro feixes no pecíolo. Idioblastos contendo drusas de oxalato de cálcio ocorrem próximo dos feixes vasculares. O caule possui contorno circular, com cilindro central com estrutura sifonostélica contínua anfifloica. A raiz possui estrutura protostélica radiada. I. longeramosa diferencia-se das demais espécies do gênero pela morfologia foliar, anatomia da epiderme, mesofilo, e pela ausência de canais laticíferos e células esclerenquimáticas.

Veja o artigo completo: PDF