Resumo Trabalho

ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DO TRITERPENO LUPEOL: UM TESTE IN SILICO.

Autor(es): CAMILLA TORRES PEREIRA, BRUNA DE LIMA ALVES SIMÃO, KARLA DE LIMA ALVES SIMÃO , MILLENA DE SOUZA ALVES e orientado por ABRAHÃO ALVES DE OLIVEIRA FILHO

Devido à expansão da expectativa de vida atualmente em todo mundo, um maior número de pessoas atinge uma idade avançada, em que a manifestação de doenças neurodegenerativas mais é sucessiva, dentre essas, a doença de Alzheimer (DA). Estudos mostram evidências de que o estresse oxidativo, através da constituição de radicais livres, é capaz de contribuir para a DA, o que justificaria o emprego de substâncias antioxidantes. Pesquisas comprovam que a fitoterapia pode auxiliar de maneira positiva a pacientes portadores dessa patologia. O trabalho teve como objetivo avaliar o potencial biológico in silico do lupeol (substância natural encontrado em frutas, vegetais e plantas medicinais) abordando diversas atividades relacionadas ao potencial sequestrador de radicais livres deste composto. Para o estudo das propriedades do lupeol foi escolhido o software Previsão do espectro de atividade para substâncias (PASS) online, projetado para avaliar o potencial biológico geral de uma molécula orgânica in silico.Todas as informações químicas (estrutura química da molécula, massa molecular, polaridade, CAS-number) do terpeno usado (lupeol) foram obtidas no site http://www.chemspider.com/. O lupeol mostrou um bom resultado em probabilidade de ativação (Pa) em relação ao valor da probabilidade de inativação (Pi). Na atividade antioxidante o valor de Pa de 0,361 foi bem mais elevado que a Pi 0,016. É importante destacar que o lupeol apresentou também, atividades antitrombótica, anti-inflamatória, citoprotetor, hepatoprotetor, dentre outras. No entanto, mais estudos in vitro e in vivo devem ser feitos para a confiança dos dados obtidos na pesquisa.

Veja o artigo completo: PDF