Resumo Trabalho

AVALIAÇÃO IN SILICO DA ATIVIDADE ANTIPROTOZOÁRIA DO LUPEOL

Autor(es): BRUNA DE LIMA ALVES SIMÃO, KARLA DE LIMA ALVES SIMÃO , CAMILLA TORRES PEREIRA, MILLENA DE SOUZA ALVES e orientado por ABRAHÃO ALVES DE OLIVEIRA FILHO

Estudos fitoquímicos realizados em frutos comestíveis como azeitona, figo, manga, morango, uvas vermelhas e em plantas medicinais, demonstraram a presença de compostos da classe terpenos, na qual está agrupado o lupeol um metabólito secundário das espécies vegetais, do tipotriterpenopentacíclico, pertencente à família lupanos. Além do mais, o referido metabólito tem apresentado diversas propriedades farmacológicas e um baixo nível de toxidade, contudo nesse trabalho será abordado a atividade antiprotozoária. Uma vez que, doenças provocadas por protozoários como Entamoebahistolytica, Trypanosoma cruzi, Plasmodium e Leishmaniasp,geramgraves problemas à saúde pública em escala mundial.Assim fazendo emergir a necessidade de novas alternativas terapêuticas para o tratamento de doenças parasitárias.Tendo esse estudo como objetivo analisar a eficácia do lupeol em relação a atividade antiprotozoária através do teste in silico. Para a avaliação, utilizou-se o programa Previsão do Espectro de Atividade para Substâncias (PASS) online, um software gratuito projetado para avaliar o potencial biológico geral de uma molécula orgânica in silico sobre o organismo humano. Esse fornece previsões simultâneas de muitos tipos de atividades biológicas com base na estrutura do composto orgânico, obtendo o índice PA (probabilidade “de ser ativo”) e PI (probabilidade “de ser inativo”). Portanto, esse trabalho teve como resultado um relevante efeito antiprotozoário da substância lupeol sobre os microorganismos: Entamoebahistolytica, Trypanosoma cruzi, Plasmodium e Leishmaniasp, comprovado pelo o índice PA ser maior que PI. Sobretudo revelando um grande potencial inibitório na atividade do protozoário Leishmania, visto que apresenta um PA de 0, 891 em relação a um PI de 0, 003.

Veja o artigo completo: PDF