Resumo Trabalho

ESTUDO IN SILICO DA ATIVIDADE ANTIVIRAL DO LUPEOL

Autor(es): KARLA DE LIMA ALVES SIMÃO , BRUNA DE LIMA ALVES SIMÃO, CAMILLA TORRES PEREIRA, MILLENA DE SOUZA ALVES e orientado por ABRAHÃO ALVES DE OLIVEIRA FILHO

Os terpenos são metabólitos secundários, um dos principais, classificado em: monoterpenóides, sesquiterpenóides, diterpenóides e triterpenóides, isolados e especificados a partir do gênero da planta. Estudos na área da saúde comprovam que os terpenos apresentam atividades anti-inflamatórias, antitumorais, antibacterianas, antioxidantes, hepatoprotectoras e entre outros. Um exemplo de terpeno é o Lupeol, um triterpenoide que pode ser extraído de diversas plantas medicinais. Diante dos dados obtidos, este estudo teve como objetivo avaliar in silico as atividades antivirais do lupeol. Para a realização do estudo in silico, todas as informações químicas (estrutura química da molécula, massa molecular, polaridade, CAS-number) do triterpeno selecionado (lupeol) foram obtidas no site http://www.chemspider.com/. Por conseguinte, utilizou-se um software PASS online, planejado para aferir o potencial biológico de uma molécula orgânica in silico acerca do organismo humano. Isso posto, o software disponibiliza previsões concomitantes de vários tipos de atividades biológicas fundamentado na estrutura dos compostos orgânicos. O Pass online indica aspectos da ação biológica, adquirindo os índices Pa (probabilidade " de ser ativo") e Pi (probabilidade "de ser inativo"). O estudo in silico revelou o potencial inibitório do lupeol, se apresentando como um importante antiviral, em doenças virais como HIV, Hepatites B, Herpes, Influenza A, Influenza, Rhinovirus. Portanto, foi observado que o triterpenóide (lupeol) tem grande potencial e eficácia na atividade antiviral em relação ao estudo in silico. Porém, existem poucos estudos in vitro e in vivo nessa área, o que revela a necessidade de se intensificar mais estudos.

Veja o artigo completo: PDF