Resumo Trabalho

ATIVIDADE GENOTÓXICA DE CENOSTIGMA PYRAMIDALE (TUL.) GAGNON & G.P. LEWIS (FABACEAE) SOB ALLIUM CEPA (AMARYLLIDACEAE)

Autor(es): ANNA CLARA PAULINO DE QUEIROZ, MARCIA SIMONE ARAÚJO DA SILVA SOUZA e orientado por MARCOS ANTÔNIO NÓBREGA DE SOUSA

A Cenostigma pyramidale (Tul.) Gagnon & G.P. Lewis (Fabaceae), conhecida popularmente como catingueira, é uma planta medicinal que possui um grande valor econômico e cultural, usada principalmente para tratar de infecções gastrointestinais e respiratórias. O objetivo deste trabalho foi analisar o efeito tóxico, citotóxico e genotóxico do extrato aquoso da casca do caule de C. pyramidale sobre a germinação de sementes de Allium cepa (Amaryllidaceae). As concentrações-teste utilizadas foram 0,6% (6g/1000 ml), 0,12% (12g/500 ml), 6% (6g/100ml), água destilada para o controle negativo, e paracetamol 0,5% como controle positivo. Além de uma solução de paracetamol 0,5% mais extrato aquoso 6%, em iguais proporções, para o teste de antimutagenicidade. A genotoxicidade foi possível de ser verificada através da presença de anomalias radiculares, a citotoxicidade foi estimada através do índice mitótico, havendo uma diminuição do índice na concentração de 0,6% e um aumento nas de 0,12% e 6%, todas apresentando diferenças estatísticas significativas em comparação ao controle negativo. No controle positivo não houve germinação das sementes testadas, provavelmente, o uso paracetamol pode ter causado efeito mutagênico letal sobre as células vegetais. Conclui-se que o extrato aquoso de C. pyramidale em todas as concentrações testadas, foi citotóxico, afetando o índice mitótico, e genotóxico devido a morfologia das radículas de A. cepa , mas não apresentando efeito alelopático sobre a germinação das sementes, exceto nos tratamentos do controle positivo e do antimutagênico. Com isso, não se recomenda a ingestão de infusões com o caule desta planta.

Veja o artigo completo: PDF