Resumo Trabalho

ESTUDO DA ADERÊNCIA DE ARGAMASSA INCORPORADA COM POLITEREFTALATO DE ETILENO MICRONIZADO

Autor(es): PRISCILA MARIA SOUSA GONÇALVES LUZ, TASSILA RAMOS PORTO, CAMILA GONÇALVES LUZ NUNES, RAYANE DE OLIVEIRA SILVA e orientado por ANA MARIA GONÇALVES DUARTE MENDONÇA

O desenvolvimento urbano relaciona-se diretamente com o aumento da produção de resíduos. Desse modo, é necessário elaborar técnicas para que esse crescimento ocorra de maneira sustentável, de forma a reduzir a produção de resíduos e lhes proporcionar destino adequado. Dentre os materiais mais produzidos industrialmente, estão os polímeros, sendo o mais comum deles o Politereftalato de etileno (PET). O tempo de degradação natural do PET é entre 100 e 400 anos, o que impede sua produção de forma sustentável. Nesse sentido, é viável dar-lhe destinos que proporcionem um aumento da vida útil sem descartá-lo completamente, como incorporá-lo em materiais de construção. Este trabalho tem como objetivo avaliar a aderência de argamassas incorporadas com politereftalato de etileno micronizado no teor de 20%. Para realizar o referido experimento as marcações dos corpos de prova, os cortes do revestimento, as colagens das pastilhas no substrato e o ensaio de resistência de aderência foram efetuados em consonância com a norma da ABNT NBR 13528:2010. Foram executados dois painéis de emboço com dimensões de 97 cm de altura, 85 cm de largura e 2 cm de espessura para realização dos ensaios nas idades de 7 e 14 dias. Os arrancamentos indicaram que a argamassa incorporada com PET teve redução de sua resistência de aderência à tração.

Veja o artigo completo: PDF