Resumo Trabalho

DIAGNÓSTICO DOS IMPACTOS CAUSADOS PELO FLUXO DE VEÍCULOS PESADOS NOS TRECHOS URBANOS DA CIDADE DE PAU DOS FERROS / RN

Autor(es): LEOGILTON FONTES DE QUEIROZ FILHO, LUDMYLLA NADJA SILVA MOREIRA, SÁVIO FELIPE PEREIRA BARBOSA e orientado por MARÍLIA CAVALCANTI SANTIAGO

Conforme o homem evoluí, evoluíram também os meios de transportes, até que com o advento da indústria, sobretudo a partir da revolução industrial, tendo início em 1760, houve significativo crescimento desse setor, grandes avanços foram sentidos nos mais diversos meios de transporte, aéreo, ferroviário, rodoviário e marítimo. No entanto, o excesso de veículos tem representando um grande problema para as cidades nos últimos anos, gerando um fluxo intenso responsável por congestionamentos, pela alta emissão de gases poluentes, pela poluição sonora e outras problemáticas que tem afetado diretamente a qualidade de vidas das pessoas, principalmente as que habitam os grandes centros urbanos, onde esse fluxo é mais intenso. Sob essa perspectiva, este trabalho objetiva-se a realização do diagnóstico dos problemas causados pela presença da BR 405 nos trechos urbanos da cidade de Pau dos Ferros, pertencente ao estado do Rio Grande do Norte. Após o estudo bibliográfico sobre a temática abordada, foi levantado as trajetórias que os veículos pesados percorrem no meio urbano, como logística para fins de obtenção de dado. A primeira etapa da coleta de informações consistiu na aplicação de um questionário de forma simples e objetiva em um dos trechos, onde este tem como objetivo identificar como se comporta o fluxo de veículos pesados e quais incômodos eles causam, através das concepções dos moradores e trabalhadores desse trecho. Como resultados preliminares, esse tráfego específico, o que além de danificar a infraestrutura da cidade, sobretudo no tocante a pavimentação, representa uma diminuição da qualidade de vida das pessoas, sendo que durante todo o trajeto da rodovia que passa pela principal avenida da mais importante cidade da região do “Alto Oeste” potiguar, é notório a falta de sinalização e segurança para pedestres e para os próprios condutores.

Veja o artigo completo: PDF