Resumo Trabalho

ISOLAMENTO DE LEVEDURAS DA VAGEM DA ALGAROBA (PROSOPIS JULIFLORA) E ANÁLISE DA ATIVIDADE AMILOLÍTICA E FERMENTATIVA DOS ISOLADOS

Autor(es): CAROLINY HELLEN AZEVEDO DA SILVA, RAYANE DIAS DOS SANTOS e orientado por JONAS LUIZ ALMADA DA SILVA

Amilases são enzimas amplamente distribuídas na natureza e encontradas, principalmente, em frutas e vegetais. Essas moléculas são capazes de hidrolisar cadeias longas e complexas de amido em açúcares menores, deixando-os disponíveis para que sejam aproveitados por microrganismos em seus metabolismos. As vagens da algaroba, planta arbórea altamente adaptada à climas desérticos e semiáridos, possuem uma composição nutricional com considerável teor de proteínas e vitaminas e uma elevada concentração de açúcares. Por esse motivo, tem sido empregada nos mais diversos processos biotecnológicos sobretudo para a produção de alimentos. Isto posto, objetivou-se com este trabalho isolar leveduras desse fruto e verificar se esses fungos unicelulares são capazes de produzir amilase e fermentar açúcares. Para tal, fez-se o isolamento em meio PDA acidificado e em seguida as linhagens foram inoculadas em meios sólidos contendo amido e meios em caldo contendo açúcares. A verificação de atividade amilolítica deu-se pelo teste do iodo. Optou-se também por fazer uma caracterização morfológica dos isolados, observando-se suas características macroscópicas e microscópicas. Os resultados mostraram que a algaroba obteve respostas mais positivas no meio composto Ágar Amido 2 e no caldo malte, todavia, todos os meios empregados tiveram resultados interessantes e consideráveis. Conclui-se, portanto, que a algaroba é uma boa alternativa para processos biotecnológicos e que os seus isolados produzem enzimas de interesse industrial.

Veja o artigo completo: PDF