Resumo Trabalho

CONCENTRAÇÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO E OXIGÊNIO ASSOCIADAS À QUANTIFICAÇÃO DE AERÓBIOS TOTAIS NA BIODEGRADAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

Autor(es): KELLIANNY OLIVEIRA AIRES, MÁRBARA VILAR DE ARAÚJO ALMEIDA, NAIARA ANGELO GOMES, VERUSCHKA ESCARIÃO DESSOLES MONTEIRO e orientado por MÁRCIO CAMARGO DE MELO

A biodegradação dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) ocorre pela ação conjunta de diferentes microrganismos e produz o biogás que é uma mistura gasosa combustível, que contém em sua composição diversos gases. A proporção desses gases, produzidos em aterros sanitários e células experimentais dependem das características dos resíduos, do equilíbrio das populações de microrganismos, da fase biodegradativa, da idade dos RSU, dos parâmetros físico-químicos e das oscilações climáticas da região. O objetivo deste trabalho é verificar as concentrações de dióxido de carbono e oxigênio associada à quantificação de aeróbios totais na biodegradação dos RSU, para compreender o papel destes microrganismos na degradação da fração orgânica, fornecer um indicativo no processo biodegradativo, podendo ainda otimizar esse processo ao longo do tempo. A área de estudo refere-se a uma célula experimental construída nas dependências da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), campus I. A pesquisa abrangeu as etapas de construção, coleta e enchimento da célula experimental com os RSU do município de Campina Grande-PB, Brasil. A célula experimental possui um formato circular com dimensões de 3,5 metros de altura, 2,0 metros de diâmetro interno e 11 m³ de volume, sendo dotada de 12 pontos de coleta de resíduos, denominados, superior, intermediário e inferior. A determinação das concentrações dos gases foi realizada mensalmente com um detector portátil com infravermelho, denominado Dräger X-am 7000, em termos de CO2 e O2. Para a quantificação de bactérias aeróbias totais, pesou-se 10 g das amostras coletadas de RSU nos 3 níveis da célula experimental e diluiu-se em 90 mL de água destilada, com diluições seriadas de 10-1 a 10-5. O cultivo foi realizado com o meio de cultura Plate Count Ágar (PCA) onde foi inoculado 0,1 mL do resíduo diluído sobre o meio de cultura, posteriormente, as placas de Petri foram incubadas em estufa a 35 ºC, durante 48 horas. Em seguida, foi realizada a contagem do número de colônias (Unidades Formadoras de Colônias). As concentrações dos gases monitorados na célula experimental variaram de 5,6% a 35%, com média de 24,8% para o dióxido de carbono e de 0,04% a 4,08%, com média de 1,3% para o oxigênio. Com relação a quantificação dos aeróbios totais observou-se que essas bactérias estiveram presentes ao longo de todo período de monitoramento em concentrações que variaram de 106 a 108 Unidades Formadoras de Colônias (UFC/mL). O monitoramento das concentrações de CO2 e O2 na célula experimental mostrou que, embora outros gases estejam presentes neste ambiente, concentrações de oxigênio foram observadas ao longo de todo o período de monitoramento. Dentre os fatores que contribuíram podem ser citadas as aberturas existentes nas laterais da célula para coleta das amostras de resíduos, a grande quantidade de fissuras na camada de cobertura de solo compactado, além da percolação de águas pluviais que trazem consigo oxigênio dissolvido em sua composição. • As concentrações de CO2 e O2 encontradas na célula experimental de RSU foram propícias para a degradação da matéria orgânica estando compatível com a idade dos resíduos e não interferiram no crescimento das bactérias aérobias.

Veja o artigo completo: PDF