Resumo Trabalho

FORMAÇÃO DE FILME POLIMÉRICO UTILIZANDO ACETATO DE TIONINA E NANOTUBOS DE CARBONO PARA APLICAÇÃO EM BIOSSENSORES

Autor(es): CECILIA MACIEL PRADO, PAULA ANGELICA BURGOS FERREIRA, THIAGO VICENTE DE MEDEIROS MATHIAS e orientado por PROF. ROSA AMÁLIA FIREMAN DUTRA

O uso de biossensores como ferramentas analíticas tem crescido devido sua capacidade de fornecer respostas rápidas, sensíveis e ao potencial de miniaturização. A utilização de filmes de polímeros, como politionina, pode fornecer ao sensor aumento da corrente medida e facilidade de ancoragem de biomoléculas. A combinação destes com nanotubos de carbono (NTC) fornece ainda aumento da transferência eletrônica dos sinais analíticos, por isso seu uso em biossensores tem se mostrado bastante relevante. Este estudo objetiva estudar a formação de filme utilizando o acetato de tionina e nanotubos de carbono (NTC) por voltametria cíclica. Foi utilizado um sistema trieletródico em célula eletroquímica, com eletrodo de trabalho feito em ouro. A eletropolimerização foi na janela -0,5 a 0,9 V por voltametria cíclica, 30 ciclos, em solução de PBS (pH 7,4) e acetato de tionina. Após a formação do filme foram acrescentados os NTC. As leituras foram realizadas em sonda de K3[Fe(CN)6 /K4[Fe(CN)6] (0,005 M) e de KCL (0,1 M) por voltametria cíclica, na janela de potencial de -0,5V a 0,9V e velocidade de 10 mV/s a 150 mV/s. Concluído o filme, apresentou ganho de corrente em 387% em relação ao limpo. Ao ser submetido a ciclagens sucessivas o filme mostrou-se estável com coeficiente de variação de 1%. Pode-se concluir que a conjugação da Tionina com nanocompósitos demonstrou ser eficaz e que o filme polimérico apresentou comportamento eletroquímico estável e reprodutível gerando um aumento significativo no sinal de corrente mensurada, melhorando assim a resposta do biossensor no qual se pretende utiliza-lo.

Veja o artigo completo: PDF