Resumo Trabalho

UTILIZAÇÃO DE DEJETOS SUÍNOS NAS PLANTAÇÕES DE MILHO, MARACUJÁ E MELANCIA EM UMA PROPRIEDADE PRIVADA NO MUNICÍPIO DE NOVA FLORESTA-PB

Autor(es): JOATAN PESSOA CRUZ, LUCIANO BEZERRA DA NÓBREGA, VANESSA SILVA SOUZA e orientado por MARCUS JOSÉ CONCEIÇÃO LOPES

Resumo:O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de carne suína do mundo, atividade que garante produção e renda, além de gerar empregos e estabilidade social para os envolvidos na suinocultura.A evolução da suinocultura resultou em grandes quantidades de dejetos, que são distribuídos, sem tratamentos, no solo, trazendo sérias conseqüências para o ambiente. No município de Nova Floresta, situado na região do Curimataú do Estado da Paraíba, a suinocultura, nos últimos anos, vem se destacando gradativamente. Com base nisso, este trabalho teve como objetivo compreender o avanço da suinocultura naquela região, analisar os riscos ambientais causados por descartes irregulares dos dejetos suínos no meio ambiente, como também entender o processo de produção e utilização desses dejetos como adubo para plantações de milho, maracujá e melancia. A pesquisa foi realizada em uma propriedade rural situada no município de Nova Floresta - PB.Os processos para a fabricação do adubo foram os seguintes:os dejetos foram captados em uma calha e canalizados até uma caixa de decantação onde as partes sólidas e líquidas foram separadas. A parte líquida foi canalizada para um tanque, onde foi diluída em água e bombeada para a irrigação. Em seguida, foram retiradas as partes sólidas e colocada sem uma câmara de compostagem junto com restos de matéria orgânica vegetal. Transformando-se em um composto orgânico rico em elementos como Nitrogênio, Fósforo e Potássio. Tanto o composto, como o biofertilizante líquido, foram usados na adubação do milho, maracujá e melancia, apresentando bons resultados. Palavras-chave: suinocultura, reaproveitamento, dejetos, suínos.

Veja o artigo completo: PDF