Resumo Trabalho

LEVANTAMENTO ETNOBOTÂNICO DE PLANTAS MEDICINAISCOMERCIALIZADAS POR RAIZEIROS EM UMA FEIRA LIVRE NOMUNICÍPIO DE BARAÚNA-PB

Autor(es): LUCIANO BEZERRA DA NÓBREGA e orientado por KIRIAK NURIT SILVA

O presente trabalho teve por objetivo realizar um levantamento das plantas medicinais comercializadas por raizeiros na feira livre do município de Baraúna-PB, bem como investigar suas indicações terapêuticas, partes usadas e modo de preparo. Para tanto, foram realizadas observações livres e uma entrevista informal junto a dois raizeiros que comercializam plantas ou partes destas na feira, com questões a respeito do uso das espécies vegetais. Os raizeiros entrevistados citaram um total das 31 espécies de plantas que são comercializadas como medicinais, pertencentes a 19 famílias botânicas, sendo Fabaceae (com 6 spp.) e Asteraceae (4 spp.) as famílias que mais se destacaram. Quanto a parte vegetal usada, há a predominância do uso de folhas (25,8%), e quanto a forma de preparo as espécies são utilizadas principalmente na forma de chás, lambedores e garrafadas. Apesar da entrevista englobar um pequeno grupo de comerciantes, a quantidade de espécies comercializadas foi significativa, revelando que existe ativa procura pela população pelas mesmas. Observou-se que, quanto a origem, ocorreu uma distribuição equitativa entre plantas exóticas e nativas, o que é bastante significativo, considerando-se que, na maioria dos levantamentos etnobotânicos há um predomínio de espécies exóticas. Destacam-se como espécies endêmicas da Caatinga a Aroeira (Myracrodruon urundeuva), Bom-nome (Matrenus rigida) e o Cumaru (Amburana cearensis). Ressalta-se a importância da comercialização destas espécies para fins medicinais, devido a eficácia no tratamento de diversas doenças, e do amplo conhecimento dos raizeiros acerca de suas indicações, conhecimento adquirido através das gerações e que deve ser preservado.

Veja o artigo completo: PDF