Resumo Trabalho

MARACUJÁ DA CAATINGA; UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR DO SERIDÓ POTIGUAR

Autor(es): ANNA KAROL DA SILVA MATOS, ROBERTO ÍTALO LIMA DA SILVA e orientado por SAINT CLAIR LIRA SANTOS

Atualmente o Seridó potiguar apresenta uma deficiente produção agrícola, esta, derivada das condições adafoclimáticas da região semiárida e da enorme carência de informações no meio rural. A vegetação nativa do Seridó potiguar é a caatinga. Esta, por sua vez não tem recebido o devido valor na região. A escassez de água é um problema antigo não apenas no Rio Grande do Norte, mas em boa parte do nordeste brasileiro. Nessa perspectiva, este trabalho vem com o intuito de incentivar o cultivo agroecológico de culturas nativas da vegetação caatinga, como o Maracujá do mato, conhecido também como Maracujá da Caatinga (passiflora cincinnata), que apresenta uma alta resistência a seca por ser nativo. Pensando nisto, o IFRN Campus Currais Novos apresenta dentre seus cursos o de tecnologia em alimentos, desde 2015 alguns pesquisadores da instituição começaram a trabalhar com o maracujá do mato (passiflora cincinnata), e desde 2016 vem produzindo geleia a partir desta cultura frutícola. Então, tendo em vista a capacidade produtiva do maracujá do mato na região do Seridó potiguar e o potencial de mercado derivado do processamento dessa fruta nativa do bioma caatinga, este trabalho surge justamente com a ideia de conscientizar a classe agricultora da potencialidade desse maracujá e da sua possível rentabilidade econômica, afim de assim influenciar na produção e no seu processamento. Tendo em vista também que, o município de Uauá, localizado no interior da Bahia, através de uma associação chamada COOPERCUC vem desde 2004 cultivando o maracujá do mato em condições de sequeiro e obtendo bons resultados através do processamento do mesmo. A associação já produz doces e geleias que apresentam uma boa aceitação por parte dos consumidores brasileiros e também do exterior, tendo já boa parte de sua produção destinada a países da Europa. Além do mais, este projeto tem ainda o objetivo de capacitar os agricultores envolvidos para uma produção fruticultura de base agroecológica, visando um equilíbrio entre Homem do campo e meio ambiente, o que desencadearia uma melhoria da qualidade de vida dos agricultores envolvidos e fortaleceria a agricultura familiar.

Veja o artigo completo: PDF