Resumo Trabalho

MARIA ODETE VIEIRA TENREIRO, FERNANDA BORGES DE ANDRADE, ROGERIA MOREIRA REZENDE ISOBE, NEIDE BORGES PEDROSA

Este trabalho apresenta resultados de investigação que analisa os impactos do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) tendo como foco as percepções dos coordenadores de área da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) sobre as ações desenvolvidas no Programa. O Pibid foi criado em 2007 e iniciou sua implementação em 2008. Por meio do Decreto nº 7.219, de 24 de junho de 2010 (BRASIL, 2010), o Programa foi ampliado, estendendo-se às instituições de ensino superior de todo o território nacional. Dentre as principais contribuições do Pibid, destaca-se a possibilidade de inserção dos estudantes de diversas licenciaturas na escola básica, de modo a observar, refletir e atuar naquele espaço junto aos demais educadores. Além disso, o Programa objetiva contribuir para que o professor supervisor – docente participante do Pibid que atua na escola básica volte-se para sua própria prática e a confronte com as discussões teóricas realizadas em grupo, perscrutando subsídios para sua atuação. Desta forma, o Pibid tem como foco a formação docente, tanto inicial (licenciando) como continuada (supervisores). Esse Programa impulsionou uma mobilização nacional em prol das licenciaturas engendrando, por sua vez, inúmeros debates e pesquisas sobre os impactos do Pibid no desenvolvimento da profissionalização docente. Tais debates são referenciados pelos princípios construídos historicamente pelos educadores na luta pela construção de políticas de formação e valorização do magistério e consequente melhoria da qualidade da educação pública no Brasil. Nesse processo, o Pibid se consolidou como política de estado com a promulgação da Lei 12.796, de 04 de abril de 2013, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Nota-se, pois, a importância de investigar os impactos do Pibid no processo de formação docente buscando evidenciar seus limites e possibilidades. Com esse objetivo, este estudo buscou analisar as percepções dos coordenadores de área – professores universitários que assumem a coordenação de um subprojeto do Programa – acerca do Pibid buscando apreender como o concebem e avaliam enquanto política pública de formação de professores. A investigação, de natureza qualitativa, foi realizada em dezembro de 2014 com 27 docentes da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, coordenadores de área de 10 subprojetos em atividade no citado ano. Os dados foram obtidos por meio da análise do Relatório Institucional - elaborado com base nos relatórios de cada subprojeto -, especialmente em seus itens 6 e 9 que tratam da “Descrição de impactos das ações/atividades do projeto na: formação de professores; licenciaturas envolvidas; educação básica; pós-graduação e escolas participantes” e das “Dificuldades encontradas e justificativas de atividades previstas e não realizadas”. Os resultados demonstram que os coordenadores de área consideram o Pibid como ação de alto impacto no âmbito da política educacional, uma vez que se inscreve na perspectiva e valorização dos profissionais da educação e como estratégia para o fortalecimento de uma educação de qualidade.

Veja o artigo completo: PDF