Resumo Trabalho

ALISON AYRTON NASCIMENTO REIS, FRANCISCO FERNANDES MACHADO DA SILVA JUNIOR , MYLENA TEIXEIRA DO NASCIMENTO, CLAUDIA KAROLAYNE DOS SANTOS LIMA e orientado por MOALDECIR FREIRE DOMINGOS JUNIOR e orientado por MOALDECIR FREIRE DOMINGOS JUNIOR

Quando o assunto é futebol de maneira geral, culturalmente associamos a uma figura masculina como representante dela. Levando esta problemática ao contexto escolar, vemos que essa questão sobre gênero e futebol pode ser pensada nas aulas de Educação Física. Assim, nosso objetivo geral foi relatar uma sequência pedagógica realizada pelo PIBID de Educação Física do Unifacex, tratando sobre o tema de gênero e futsal/futebol, com os objetivos específicos de promover e debater sobre a inserção da mulher no futebol e experimentar os movimentos básicos do futebol. Para tanto, temos a etnografia educacional como metodologia de pesquisa, uma vez que essa metodologia permite a inserção do pesquisador no campo de estudo e envolver-se com o grupo estudado; a aula torna-se um laboratório de reflexão sobre a interação entre os estudantes e o professor. Como técnica de coleta de dados, utilizamos a observação participante e o diário de bordo relatando as observações e nossos encontros pedagógicos. Para isso, foram realizadas observações das aulas com o supervisor de campo para conhecimento das turmas, bem como do ambiente escolar e traçar juntos um planejamento. As aulas foram aplicadas nos dias 01,08 e 09 de junho de 2017 nas turmas de 8°série do ensino fundamental a 1° ano do ensino médio. Como resultados das observações, pudemos perceber a exclusão da mulher nas situações de futebol. Dessa forma, nossas intervenções foram planejadas no intuito de fomentar essa reflexão sobre a participação da mulher no futebol. As intervenções pedagógicas resultaram não apenas em discutir sobre a participação da mulher no futebol, mas sobre a participação de todos. A partir das aulas abertas sobre a prática do futebol e das discussões dos textos sobre a história da mulher no futebol, notamos uma participação maior das mulheres nas aulas de Educação Física, demonstrando seu interesse nessa prática corporal, ao mesmo tempo, que vimos o quanto os homens excluem as mulheres, afirmando que futebol é violento e só deve ser praticado por homens. Cada aula terminava com um momento de reflexão, onde debatíamos sobre essa tensão entre homens e mulheres no futebol. Depois dessas aulas, conseguimos fomentar uma reflexão que sensibilizou as turmas envolvidas nesse projeto. Por fim, podemos concluir que o PIBID alcançou um triplo objetivo: 1) de desmistificar no que diz respeito a participação da mulher no futebol, 2) fomentou uma reflexão sobre a atuação do supervisor de campo sobre aulas de futebol e 3) propicia aos bolsistas do Pibid uma formação inicial em Educação Física conectada diretamente ao cotidiano escolar.

Veja o artigo completo: PDF