Resumo Trabalho

RAFAELLA FERREIRA RODRIGUES BARBOSA e orientado por MÁRCIA RIQUE CARÍCIO e orientado por MÁRCIA RIQUE CARÍCIO

As políticas para a educação das pessoas surdas têm passado por várias mudanças ao longo dos anos, mudanças estas que trouxeram aspectos positivos e apresentaram bastantes avanços para inclusão destes nas salas de aula do ensino regular. Outro aspecto novo no campo é a Educação Emocional, busca potencializar o desenvolvimento das competências emocionais como elemento fundamental para o desenvolvimento integral da pessoa. Sendo a escola um espaço onde emoções e afetos são vividos diariamente de maneira aberta onde nesta etapa (escolarização) da vida os processos identificatórios de consolidam e o aluno com deficiência auditiva, sozinho no ambiente escolar, em sua condição de surdez, pode enfrentar uma série de dificuldades, assim, buscamos conhecer como e o quanto as emoções têm se mostrado e influenciado na relação destes alunos com os professores, os colegas e demais profissionais da escola e, também as influências que as emoções trazem ao seu aprendizado. A pesquisa faz parta do Trabalho de conclusão de Curso de Graduação em Pedagogia da Universidade Federal da Paraíba e será composta de um momento de observação na sala de aula, seguida de uma entrevista com professores, cuidadores, intérpretes que acompanham e os estudantes, principais sujeitos desta pesquisa e, por fim a aplicação de um questionário semiestruturado para que desse modo possamos entender nossas indagações iniciais que são: o estudante com deficiência auditiva se sente realmente inserido na sala de aula? Como é sua relação com o professor (a), cuidador e intérprete (se houver)? Como se relaciona com os colegas e demais profissionais da instituição? O quanto suas emoções têm contribuído e/ou atrapalhado o seu desenvolvimento cognitivo e interação com os demais colegas? Que os resultados, desse estudo, possam levar a uma contribuição significativa na inclusão destes alunos em sala de aula, levando em consideração os aspectos cognitivos e emocionais dos mesmos, pois apreender como estes alunos, professores, colegas e demais profissionais representam esta experiência é indispensável para qualificar as implicações desta prática.

Veja o artigo completo: PDF