Resumo Trabalho

MARUZA GABRIELLE MARTINS CAMPELO, SOFIA GALINDO MOREIRA e orientado por MARIA DO CARMO CALDAS DIAS COSTA e orientado por MARIA DO CARMO CALDAS DIAS COSTA

Desde os primórdios da humanidade o ser humano se questiona sobre a origem da vida e de sua existência, consequentemente assumiu desde cedo uma preocupação com o seu bem-estar. Havia, assim, questionamentos sobre o que é a saúde? Como promovê-la? E o que é um indivíduo saudável? Na Conferência Nacional de Saúde realizada em 1986, o conceito de saúde foi definido como uma resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, acesso e posse da terra e acesso a serviços de saúde. Assim, antes de tudo, saúde seria o resultado das formas de organização social, a qual não sendo adequada pode gerar dificuldades nos níveis de vida. É consenso entre os educadores a importância de uma educação voltada para a saúde dos escolares e que esta seja feita desde cedo. Sendo a infância o período no qual o indivíduo inicia sua formação física e mental e considerando o tempo em que está é vivenciada na escola, não há como discordar do papel fundamental que a escola desempenha no desenvolvimento hábitos e costumes saldáveis de crianças e adolescentes. Existe, entretanto, alguns questionamentos levantados por pesquisadores e educadores, quanto ao preparo dos professores para atuarem como agentes de promoção da saúde na escola. Igualmente, existe consenso quanto a importância da realização de capacitações sistemáticas para professores de ciências responsáveis diretos pelo ensino de ciências, onde tópicos relativos a saúde e qualidade de vida são tratados. A presente pesquisa objetivou a promoção de um registro preliminar de como a Educação para a Saúde vem sendo realizada em escolas públicas e privadas situadas na Região Metropolitana do Recife. .

Veja o artigo completo: PDF