Resumo Trabalho

RONALDO DOS SANTOS BARBOSA

A linguagem cartográfica tem contribuído de forma significativa para o processo de construção de conceitos no ensino de Geografia, a mesma tem auxiliado professores do ensino fundamental, tanto dos anos iniciais quanto dos anos finais em suas práticas docentes, tudo isso, por meio de metodologias que nos últimos anos tem proporcionado um desenvolvimento significativo do raciocínio espacial e de habilidades específicas da cartografia e da geografia nos alunos do ensino fundamental. A prática da “Cartografia Escolar” enquanto linha de pesquisa, tem contribuído para despertar nos professores e alunos noções de como utilizar a linguagem cartográfica na expressão de seus conceitos geográficos; contribui na representação do espaço real, no papel, através da confecção de croquis e mapas mentais; como também representar o conceito de lugar, utilizando essa ferramenta como meio de comunicação e expressão do raciocínio geográfico. Por se tratar de uma orientação didática fruto de um projeto de extensão, é indispensável à utilização de fontes bibliográficas tanto nas áreas específicas (Geografia e Cartografia) quanto na área pedagógica. Tendo a Escola Municipal Tocantins na cidade de Imperatrz-MA como espaço de pesquisa e prática para o desenvolvimento das atividades e os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental turno vespertino como sujeitos da pesquisa. Utilizamos como base teórica a Metodologia de Oliveira (2010) baseada no processo (Percepção-Cognição-Representação). Representar a realidade espacial cotidiana no papel, por meio de croquis e/ou mapas mentais constitui uma forma de despertar no aluno do 6º ano a noção de espaço vivido e lugar, essa atividade desenvolveu no cognitivo do aluno uma nova visão do vem a ser a noção/conceito de Lugar trabalhado no componente curricular Geografia. O uso dos elementos cartográficos como forma de comunicação e apreensão da realidade vivida foram fatores preponderantes para que os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental desenvolvessem sua capacidade de perceber, entender e representar com autonomia os elementos presentes em seu cotidiano. Espera-se com atividades desta natureza contribui com o processo de desenvolvimento cognitivo dos alunos para que os mesmos possam utilizar a linguagem cartográfica para uma leitura mais aprofundada do espaço geográfico e representa-lo com autonomia.

Veja o artigo completo: PDF