Resumo Trabalho

ZELIA MARIA MELO DE LIMA SANTOS, LINDALVA JOSÉ DE FREITAS

Este artigo está focado num Estudo de Caso que investiga um fenômeno contemporâneo dentro do seu contexto real, tem como objetivo identificar no Projeto Político Pedagógico (PPP) se contempla metas e ações que garantam a efetivação dos direitos humanos dos alunos, com o propósito de problematizar a repercussão da desigualdade social no currículo escolar, colocando em discussão as práticas pedagógicas escolares. Em caso de atitudes de desrespeito aos direitos humanos na comunidade discente, reavaliar o PPP, buscando uma mudança de postura dos docentes através da formação continuada, pois existe a necessidade de uma reflexão sobre a pobreza no âmbito escolar, ou seja, ela deve ser incorporada aos currículos. Um caminho para articular pobreza e currículo pode começar por identificar que experiências, que práticas acontecem nas escolas que procuram incorporar as vivências e a história da pobreza nos currículos. O problema desse enfoque é que, se os pobres são vistos como carentes e inferiores em capacidades de atenção, esforço, aprendizagem e valores, acabam sendo responsabilizados por sua própria condição. Assim, são constantemente inferiorizados, reprovados e segregados, consequências da falta de atenção dada pela cultura política, pedagógica e docente às carências materiais, à fome e aos corpos tomados pela pobreza. A metodologia utilizada é um estudo de caso com análise documental de cunho qualitativo que permite contextualizar a ideia de educação como direito. Os resultados alcançados se revertem em propiciar uma reflexão acerca da pobreza no currículo desta Escola, possibilitando a inserção de práticas voltadas a inclusão dos mais pobres no currículo da Escola.

Veja o artigo completo: PDF