Resumo Trabalho

A CONQUISTA DE PRÁTICAS REBELDES NAS AULAS DE ARTES VISUAIS

ISABELLE SILVA MORAIS CARNEIRO DA CUNHA

O que motiva ou caracteriza uma rebeldia? Um ato de negação, agir contrário a uma causa ou um costume.Normalmente, atribuída a fatores negativos como birra ou teimosia. Dentre este universo, o artigo apresenta as ações relacionadas com o que se entende por “ser rebeldes”, explorando as artes visuais. Para isso, aborda-se o cotidiano de uma turma do Ensino Fundamental I (5ºano) de uma escola pública localizada em João Pessoa - Paraíba, entendendo a necessidade e o direito da criança ter sua visão de mundo respeitada.Centraliza-se na incumbência especificada no art.3º, parágrafo IV da LDB/1996, que destaca o respeito à liberdade e apreço à tolerância. Assume um caráter descritivo acerca de um relato de experiência, na disciplina de Estágio Supervisionado I, onde as coletas dos dados acontecem por observação sistemática. Utilizou como apoio teórico apontamentos da Cultura Visual, e ainda, reflexões de Rebeldia em Bakunin e Educação em Freire e Vygotsky. Trabalha através das imagens de internet e artísticas, dialogando com o dia a dia do educando. Limita-se a uma intervenção que permeia em arte política, ainda que possuímos problemas sociais e antropológicos envolvidos com a temática. Durante os encontros, as ações rebeldes apresentam-se através de aspectos do personagem, ações e gestos corporais. Transita entre o cabelo moicano, a violência, o estirar língua para o próprio educando, o protesto, a imagem. Sendo assim, constata que a expressão de visualidades permitiu aos educandos a liberdade de indicar causas que eles contrapõem ou ratificam, principalmente, na vivência escolar. Há uma conquista da rebeldia que: questiona, olha com criticidade determinadas situações e defendem politicamente uma transformação social.

Veja o artigo completo: PDF