Resumo Trabalho

ESTUDO DA EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE PETRÓLEO DA ÁGUA PRODUZIDA (PETROBRAS RN/CE) UTILIZANDO MATERIAIS ADSORVENTES

Autor(es): ISAMAR ALVES DE SÁ, GABRIELLA MARIA MARTINS SOARES DE FARIAS , ANA LETÍCIA SILVA COSTA, EMANNUEL MESSIAS FERNANDES SANTOS e orientado por ANA KARLA COSTA DE OLIVEIRA e orientado por ANA KARLA COSTA DE OLIVEIRA

Gerenciar a água produzida (AP) de petróleo é um grande desafio para as empresas de petróleo, devido à geração de volumes elevados e à sua complexidade química. Em razão disso, é necessário realizar o tratamento da AP, a fim de minimizar os efeitos nocivos ao meio ambiente, através de um tratamento adequado, possibilitando o seu reuso, e consequentemente, causando o mínimo possível de prejuízos aos processos nos quais será utilizada, evitando problemas tanto ambientais quanto às instalações de produção. Com o intuito de se adequar as normas do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), o órgão responsável pela regulamentação das leis ambientais brasileiras, a adsorção foi o processo de remoção de petróleo utilizado neste trabalho. As amostras de água contaminada com petróleo foram submetidas à passagem por três adsorventes, cuja composição química ou estrutura de grãos apresentava afinidade com os hidrocarbonetos que são constituídos por compostos orgânicos, em grande parte, insolúveis em água, formados exclusivamente por átomos de carbono(C) e hidrogênio (H) com fórmula geral: CxHy O objetivo deste artigo é fazer uma comparação entre a eficiência do processo de adsorção em águas produzidas contaminadas com petróleo, através de uma amostra que foi cedida pela PETROBRAS – RN/CE, a partir da utilização de carvão ativo granular médio(1,18mm), da areia de praia (2mm) e da casca de coco in natura como materiais adsorventes. Os resultados obtidos mostraram as melhores eficiências: 82% na remoção de turbidez ao utilizar o carvão ativo, 95,90% na remoção de turbidez ao utilizar a areia da praia e 38,38% na remoção de turbidez ao utilizar a casca de coco in natura.

Veja o artigo completo: PDF