Resumo Trabalho

SOLUBILIDADE DO CARBONATO DE FERRO EM MISTURAS AQUOSAS DE MONOETILENOGLICOL A 25 °C E DIFERENTES PRESSÕES DE CO2

Autor(es): BEATRIZ IDALINA DE OLIVEIRA VIEIRA, DEBORAH CORDEIRO DE ANDRADE, JAILTON FERREIRA DO NASCIMENTO, LEONARDO PEREIRA DOS SANTOS e orientado por OSVALDO CHIAVONE-FILHO e orientado por OSVALDO CHIAVONE-FILHO

Durante a exploração do gás natural, os reservatórios encontram-se normalmente em condições propícias de temperatura e pressão para a formação de hidratos. Trata-se de um problema operacional, pois o sólido que congela pode obstruir as tubulações, inviabilizando a produção. Para evitar os hidratos são injetados inibidores, como o monoetilenoglicol (MEG). Tendo em vista a contínua produção de gás natural, é necessária a recuperação do MEG. Portanto, é também requerido conhecer os parâmetros intrínsecos ao processo de regeneração do MEG, especialmente sobre o fenômeno de precipitação de sais de carbonatos nas correntes ao longo desse processo. Este trabalho visa o estudo da solubilidade do carbonato de ferro (FeCO3), suas características e propriedades em solução com água, MEG e dióxido de carbono (CO2), simulando condições reais. Visto a alta vulnerabilidade à oxidação do FeCO3, este é de difícil comercialização, necessitando assim ser sintetizado em atmosfera inerte. Observou-se que a solubilidade do carbonato de ferro cresce com o aumento da pressão do sistema, e que diminui com o acréscimo do teor de MEG. A presença de CO¬2 fomenta a solubilização do carbonato, e este efeito também é avaliado.

Veja o artigo completo: PDF