Resumo Trabalho

ADSORÇÃO DE ÓLEOS E GRAXAS DA ÁGUA PRODUZIDA UTILIZANDO COMO ADSORVENTE CARVÃO ATIVADO PRODUZIDO A PARTIR DA VAGEM DA MORINGA OLEÍFERA LAM

Autor(es): JULIANE OLIVEIRA RODRIGUES, TAYANARA MENEZES SANTOS, ARIANE CARDOSO CASTRO, JOSE VALDO DA SILVA e orientado por GABRIEL FRANCISCO DA SILVA e orientado por GABRIEL FRANCISCO DA SILVA

A água produzida, gerada na exploração e produção de óleo e gás natural, é uma das maiores preocupações ambientais relacionadas ao petróleo. Fato que ocorre devido à sua composição tóxica e ao volume que é produzido, sendo o descarte uma das opções mais viáveis para seu gerenciamento. A resolução CONAMA 393/07 estabelece que o descarte desse efluente em plataformas marítimas deve obedecer a certos limites, dentre eles, teor de óleos e graxas (TOG) médio de 29 mg/L e máximo de 42 mg/L, sendo necessário passar por tratamentos para atingir tais valores. O tratamento utilizado nesse trabalho foi adsorção em carvão ativado produzido a partir da vagem (CV) da Moringa oleífera Lam. A produção do carvão ocorreu através da ativação da biomassa, seguida da pirólise. O CV obtido, que apresentou baixa granulometria, foi caracterizado por área superficial, pelo método BET, e porosidade, pela microscopia eletrônica de varredura (MEV), em seguida, foi utilizado nos testes de adsorção em batelada, com o objetivo de remover óleos e graxas de um efluente sintético. Pela avaliação dos resultados adsorção, o CV demonstrou que apresenta capacidade para ser utilizado como adsorvente de óleos e graxas da água produzida.

Veja o artigo completo: PDF