Resumo Trabalho

UTILIZAÇÃO DA CINZA DA CASCA DO ARROZ NO TRATAMENTO DE EFLUENTES ORIUNDOS DE CAMPOS DE PETRÓLEO

Autor(es): BEATRIZ FERRAZ MARTINS, JARDEL HUGO GONÇALVES PAIVA e orientado por KEILA REGINA SANTANA FAGUNDES e orientado por KEILA REGINA SANTANA FAGUNDES

O setor petrolífero encontra-se em constante inovação de seus processos tecnológicos, contudo ainda existem alguns problemas preocupantes. Um exemplo disso refere-se à água produzida, que é entendida como toda a água advinda do processo produtivo do petróleo, venha ela da extração ou de outras etapas. Uma das problemáticas com relação a água produzida consiste na dificuldade de degradação de todos os compostos presentes até um nível adequado que permita a reutilização ou descarte dessa água nos padrões previamente estabelecido pelos órgãos ambientais. Essa problemática tem incentivado pesquisadores a direcionar os esforços no sentido de encontrar alternativas capazes de remover de forma eficiente óleos e graxas, um dos principais contaminantes presentes na água produzida, com um custo inferior se comparado às demais tecnologias já usadas para o tratamento da AP. Os processos de adsorção apresentam um grande potencial para a remoção de contaminantes dada a facilidade de operação e a simplicidade no dimensionamento das instalações, além de apresentarem baixos custos de operação e de manutenção se comparados com os métodos de tratamento de água tradicionais. Neste trabalho, a Cinza da Casca do Arroz (CCA) foi utilizada como material adsorvente na remoção de óleos e graxas de uma solução sintética através do processo de adsorção. A CCA foi caracterizada a partir da análise de FRX. A solução sintética de controle foi considerada como o contaminante na concentração de 100%. Essa solução foi testada e, assim, sua estabilidade confirmada para a realização das análises. Uma curva de calibração de controle foi preparada a fim de haver um parâmetro confiável para os cálculos do trabalho. Diversas amostras foram preparadas e submetidas a testes de adsorção, que resultaram em uma remoção de contaminantes de até 98%. Com os resultados do teste de adsorção foi realizado um Mapeamento Fatorial que confirmou a eficiência da CCA como material adsorvente. Deste modo, a CCA se mostra um excelente adsorvente, com elevados percentuais de remoção de óleos e graxas.

Veja o artigo completo: PDF