Resumo Trabalho

PIRÓLISE FLASH DO ÁCIDO LÁURICO COM O CATALISADOR H-BEA

Autor(es): AROLDO FELIX DE AZEVEDO JÚNIOR , DAMARI GILENO FIGUEIREDO SOUZA, CAROLINA COSTA FREITAS, CAMILA RIBEIRO DE OLIVEIRA FÉLIX e orientado por SORAIA TEIXEIRA BRANDÃO e orientado por SORAIA TEIXEIRA BRANDÃO

A busca por fontes renováveis de energia está cada vez mais crescente e exigindo pesquisas que desenvolvam técnicas altamente produtivas com processos otimizados e custos cada vez menores para que o produto seja competitivo no mercado. Dessa forma os combustíveis renováveis que são biodegradáveis, são interessantes devidos seus benefícios ambientais e alta disponibilidade. Neste sentido, o presente trabalho visa estudar a conversão do ácido láurico por pirólise flash, térmica e catalítica. Para o teste catalítico foi utilizado catalisador H-BEA comercial, impregnado pelo óxido metálico de molibdênio (MoO3). Inicialmente foi feita uma mistura física no suporte H-BEA, em seguida o material foi adsorvido ao ácido láurico. Catalisadores suportados com Mo, apresentam propriedades interessantes a sua aplicação neste processo. Os catalisadores foram caracterizados por difratograma de raio-x (DRX), análise textural por adsorção física de N2 (BET), espectroscopia por energia dispersiva de raios-x (EDS) e fluorescência de raio-x (FRX), que indicaram a obtenção dos catalisadores desejados, referente a fase e porosidade. As reações foram realizadas a 650 oC sob fluxo de hélio. A identificação dos produtos foi realizado por cromatografia a gás e espectrometria de massa (CG-MS). No teste, a decomposição do ácido graxo no catalisador resultou na produção predominante de hidrocarbonetos aromáticos, como olefinas. Logo o trabalho indica uma viabilidade desta reação para a obtenção de hidrocarbonetos renováveis, sendo estes de grande interesse como combustíveis líquidos.

Veja o artigo completo: PDF