Resumo Trabalho

A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE:DO CAMINHAR NO EIXO TEMÁTICO DIVERSIDADE CULTURAL PARA UMA PERSPECTIVA INTERDISCIPLINAR E INTERCULTURAL

ROSEMARY ROQUE DE AQUINO, ANNE CAROLINE SILVA AIRES, KAREN OHANA SOUSA BASTOS, SILVILENE MÁRCIA FERREIRA e orientado por ELISABETE CARLOS DO VALE e orientado por ELISABETE CARLOS DO VALE

O presente trabalho refere a um relato de experiência de um projeto piloto que teve a colaboração de bolsistas PIBID, para dar base a um projeto didático a ser trabalhado em cada eixo temático sugerido pela Secretaria Municipal de Campina Grande tendo iniciado o primeiro eixo cujo tema foi Diversidade Cultural com uma proposta baseada na apreciação de um filme seguido com conteúdos conectados as disciplinas em consonância com os temas do eixo sugerido.Com a proposta de trabalhar o filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate” foi proporcionado aulas que possibilitou desenvolver um conjunto de conhecimentos, habilidades, formas de comportamento e hábitos de estudo relacionados aos objetivos e organizados pedagógica e didaticamente na perspectiva das três dimensões: conceitual, procedimental e atitudinal no qual se deteve seguir a risca com uma sequência didática programada; entretanto com abertura para flexibilizar caso fosse necessário; porem além de ter seguido como o programado percebeu-se que os escolares apresentaram interesse de buscar aprender mais, trazendo informações complementares sobre os autores do filme que nos possibilitou ampliar o conhecimento com dramatizações cujo roteiros foram preparados por eles. Essa estratégia de ensino possibilitou desenvolvermos atividades pedagógicas na perspectiva da Pedagogia Libertadora no qual propõe o conteúdo programático a partir da investigação interdisciplinar e de um mínimo de conhecimentos da realidade; os conteúdos não devem ser impostos aos estudantes, mas partir de suas experiências e necessidades. Freire (1967) considera a prática educativa como uma totalidade e por isso não separa conteúdo de método, professor de aluno, dizendo que o professor progressista se preocupa com a totalidade da prática educativa procurando descobrir os momentos parciais que compõem essa totalidade. E nessa concepção foi possível alcançar os objetivos proposto bastante relevante para os escolares que apresentaram autonomia de buscar mais, e para o professor que encontrou um caminho com várias possibilidades interdisciplinar e intercultural que pôde ver o escolar como um ser holístico.

Veja o artigo completo: PDF