Resumo Trabalho

BRINCADEIRAS E JOGOS COMO CONTEÚDOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II:

DANIEL BRUNO DA SILVA FORMIGA, RAUL PEREIRA DA SILVA, KAMILA HAYLA DE ALMEIDA SILVA, MARIA GORETTI CUNHA LISBOA

Resumo: O presente trabalho relata uma experiência vivenciada no Ensino Fundamental II, em uma escola da rede ensino pública, sobre a unidade temática das brincadeiras e jogos no ensino fundamental, pautado na orientação nacional da BNCC (2017) reforçando como conteúdo de práticas corporais da Educação Física Escolar. O mesmo foi desenvolvido através de aulas ministradas no Programa Institucional de Bolsas de iniciação à Docência (PIBID), na EEEF Senador Humberto Lucena, na cidade de Campina Grande/PB, nas turmas 7° e 8° ano do ensino fundamental. O PIBID contribui de maneira significativa para formação inicial de graduados, e formação continuada de professores da educação básica que está presente no programa. Como também os graduandos se tratando de formação inicial, onde possuem pouca vivência no espaço de intervenção pedagógica e com a realidade escolar, e assim terminam a sua graduação geralmente, despreparada para atuar profissionalmente na escola, tendo um choque de realidade não sendo o esperado ou imaginado. O conteúdo foi desenvolvido obedecendo uma sequencia definida pelo grupo em planejamento, seguindo a abordagem pedagógica critico-superadora. Ao fim do semestre, acompanhando as turmas de 7° e 8° ano do ensino fundamental, foi possível perceber o impacto positivo na vida dos alunos, pois os mesmos passaram a solicitar a repetição das atividades já aplicadas, relatando que estão praticando as brincadeiras com amigos e familiares; onde no início os mesmos desconsideravam a disciplina de Educação Física, pois não havia aula ou conteúdo planejado, mas uma exclusão daqueles que não gostavam de jogar bola. Como resultados conclui-se que, através de cada jogo ou brincadeira construído pelos os alunos com regras adaptadas, o mesmo, contribuiu para o processo de ensino e aprendizagem, onde aulas atraíram o interesse dos alunos, saindo de aulas mal planejadas sem objetivos vivenciados por eles em anos anteriores; e agora os próprios alunos participando ativamente da construção do próprio conhecimento.

Veja o artigo completo: PDF