Resumo Trabalho

MARXISMO, EDUCAÇÃO E ENSINO: UM OLHAR PARA A ESCOLA COMO FORMADORA DE INDIVÍDUOS EMANCIPADOS

MARIA CLAUDIA COUTINHO HENRIQUE, ROBERTA XAVIER MONTENEGRO BEZERRA, KALLIGIANA ARAUJO DE FARIAS e orientado por PROF. DR. VALMIR PEREIRA e orientado por PROF. DR. VALMIR PEREIRA

O presente artigo tem por objetivo desenvolver uma relação entre a concepção de indivíduo para Karl Marx e quais as implicâncias de tal concepção para seus escritos sobre educação. Alguns estudiosos das obras de Marx afirmam que não há, para o filósofo, espaço para a categoria indivíduo em suas obras, porém, baseados em leituras não só dos textos do autor alemão, mas também de pensadores marxistas, observamos que não só há espaço para tal categoria, mas há, por parte de Marx uma grande preocupação na formação desse individuo enquanto “ser humano”. A instituição escolar, vem se modificando através do tempo e não escapa das críticas de pensadores marxistas bem como do próprio Marx. A escola é vista, para esses autores como uma forma de reprodução do modo de vida da burguesia que é, afinal, quem domina os meios de produção, não só materiais, mas também intelectuais uma vez que, determina o que se ensina nessa instituição. Porém, pode-se pensar numa escola voltada para a formação integral do indivíduo como defende Gramsci, que não nega o caráter reprodutor da escola, mas vê nela um meio pelo qual as classes subalternas sairiam de sua condição de oprimidas e passariam a governantes. A educação se dá no âmbito das relações sociais e, portanto, em todos os lugares, não só na escola. O trabalhador, é, o foco dos escritos de Marx sobre educação e ensino, desse modo é impossível separar a formação do trabalhador da formação do cidadão, pois estes são um. Nesse sentido, buscamos demonstrar que, a preocupação de Marx bem como de outros autores que seguem seu pensamento, é de que o homem se torne emancipado em todos os aspectos de suas vidas. Para tanto buscamos demonstrar que, a mudanças na educação fazem parte do processo de desenvolvimento das sociedades e que, é possível fazer com que, esta seja a ferramenta pela qual, os indivíduos possam transformar a sociedade burguesa capitalista pautada no egoísmo e na exploração do mais fraco, em uma sociedade igualitária, de indivíduos conscientes de si, emancipados e com condições de lutar por um mundo melhor.

Veja o artigo completo: PDF