Resumo Trabalho

A FORMAÇÃO DO LEITOR EM FOCO: TRAJETÓRIAS DE LEITURA DE ESTUDANTES INGRESSANTES NO CURSO DE PEDAGOGIA/UEPB

GILMA ALVES FERREIRA, VALDECY MARGARIDA DA SILVA

A leitura é uma atividade ao mesmo tempo individual e social. É individual porque nela se manifestam diversas particularidades do leitor, entre elas suas características intelectuais, sua memória, sua história. É, também, social porque está sujeita às convenções linguísticas, ao contexto social, à política. A prática da leitura envolve tanto o sujeito da leitura como as condições sócio-históricas em que ele se insere. Neste contexto, este artigo partiu de uma pesquisa realizada com 23 alunos (dentre eles 22 mulheres e 1 homem) do primeiro período do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campus I, município de Campina Grande, e tem como objetivo compreender a trajetória e a prática de leitura dos estudantes ingressantes no curso, o contexto sócio-cultural no qual os mesmo estão inseridos, como este fato se reflete no curso de graduação e na carreira docente. Para isto, a coleta de dados ocorreu através na disciplina de Leitura e Elaboração de Texto I quando os alunos foram solicitados a produzirem relatos pessoais narrando como e quando se iniciou o contato com a leitura e a relação que estes mantém com a mesma, atualmente. Vale ressaltar que os apontamentos feitos sobre a origem social dos pesquisados não foi requerida como critério na elaboração do texto. Estes apontamentos partiram da necessidade de vincular a realidade com a trajetória de leitura. Após a análise temática de conteúdo, pode-se constatar que o vinculo e apreciação pela leitura não é inerente ao indivíduo, pois esta está diretamente ligada ao contexto sócio-cultural que influencia o nível e frequência de contato que os sujeitos tem com a leitura. Ainda, questões como o nível de alfabetização dos pais, a importância que os mesmos dão para a leitura, a religião seguida pela família, a escola de formação, dentre outros pontos, influenciam diretamente na vivência leitora deste indivíduo. Da mesma forma, foi constatado que aqueles que não tiverem uma boa formação leitora durante a infância, sentem dificuldades quando sugeridos exercícios de leitura e elaboração textual, refletindo na sua graduação e, ainda, na profissão docente.

Veja o artigo completo: PDF