Resumo Trabalho

“PRETINHA, EU?” REFLETINDO SOBRE A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA

MARIA LETÍCIA COSTA VIEIRA e orientado por PATRÍCIA CRISTINA DE ARAGÃO e orientado por PATRÍCIA CRISTINA DE ARAGÃO

Este trabalho se apresenta como uma proposta de ensino-aprendizagem através do Projeto de Iniciação Cientifica (PIBIC) que vem discutir sobre a questão das relações étnico-raciais na perspectiva da negritude no contexto da escola através da literatura infanto-juvenil. O objetivo geral é discutir sobre a educação das relações étnico-raciais na educação a partir da literatura na obra Pretinha, eu? De Júlio Emilio Braz. Nossa proposta é através do diálogo da literatura com a história promover a discussão na formação docente e na sala de aula acerca do trabalho com a história e cultura afro-brasileira levando em consideração suas pluralidades, dessa forma contribuindo com novas posturas éticas e mudando o olhar sobre a diversidade. Como referencial teórico trabalhamos na perspectiva dos autores Gomes (2007/ 2013) no debate sobre questão racial na escola, Toller (2007) e as discussões sobre literatura afro-brasileira, em Rezende e Maggie (2001) discutimos sobre raça e diferença. Tomamos como fonte de pesquisa e analise a obra “Pretinha, Eu?” de Júlio Emílio Braz que trata das tendências preconceituosas encontradas no âmbito escolar. Trata-se de uma pesquisa de cunho bibliográfico em que utilizamos como fontes e pesquisa a obra literária. Por meio dela, problematizamos as formas como devemos abordar a temática racial na escola e na sala de aula, levando em consideração a formação dos docentes e a grande deficiência na educação com relação a nossa herança africana e as realizações do negro brasileiro na atualidade. Além de enfatizar a importância de trabalhar com a literatura afro-brasileira na sala de aula e no cotidiano em geral buscamos traçar o percurso do negro na literatura brasileira.

Veja o artigo completo: PDF